Strict Standards: Declaration of nNews::loadFromDatabase() should be compatible with dDbRow::loadFromDatabase($primaryValue, $aliasAsPrimary = false) in /home/nogueira/public_html/classes/class_nNews.php on line 2
Banco deve pagar cerca de R$ 200 mil a funcionária de agência assaltada - Nogueira & Triana :. Notícias de Direito direto da OAB Londrina
Nogueira & Triana - Advocacia e Assessoria Jurídica em Londrina
 
 
Banco deve pagar cerca de R$ 200 mil a funcionária de agência assaltada

Em: 06/07/2008

A 38ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro condenou o Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul) a indenizar uma bancária por dano material e moral. O valor a que o banco foi condenado é de aproximadamente R$ 200 mil e decorre do fato da funcionária ter sofrido três assaltos dentro do posto de atendimento da instituição em que trabalhava na cidade do Rio de Janeiro.A bancária pleiteava um valor indenizatório cinco vezes maior que o estabelecido, porém o juiz José Mateus Alexandre Romano entendeu que a pretensão era exagerada. Por se tratar de decisão de primeira instância, ambas as partes podem interpor recurso.O caso

Segundo a sentença, o posto de atendimento do banco em que a bancária trabalhava, num condomínio na zona sul da cidade, foi assaltado três vezes, talvez por falta de uma maior segurança, que não possuía estrutura completa como a das agências normais.A bancária relatou ter sofrido grande abalo emocional diante do ocorrido, o que teria lhe causado grandes prejuízos, tanto no aspecto pessoal, com a necessidade da busca por tratamento psicológico, como no profissional, com a perda de promoção tida como certa. Tal situação teria ainda causado a sua prematura aposentadoria por invalidez.Na decisão, o juiz entendeu que, se é responsabilidade do banco zelar pela segurança de seus clientes e também dos funcionários, o mesmo teria a obrigação de reforçar a segurança após a ocorrência do primeiro crime. Afirmou, também, que a instituição financeira não provou que tivesse dado a devida assistência médico e psicológica à sua funcionária. Segundo a advogada da bancária, Gisa Silva, do escritório Machado Silva Consultoria Jurídica, o juiz entendeu que houve omissão por parte do banco, pois o posto não tinha porta giratória com detector de metais. “Além disso, o banco deixou de prestar assistência psicológica à bancária, que ficou abalada e desenvolveu síndrome do pânico, o que ocasionou a sua aposentadoria por invalidez”.Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Banrisul informou que o banco já interpôs recurso ordinário contra a decisão da 38ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro.



Voltar para notícias      Clique aqui para ver o Jornal

Voltar ao topo
 

Nogueira & Triana
Advocacia e assessoria jurídica

      Av.Higienópolis, 32 - 12° andar - Centro - CEP: 86020-920
 contato@nogueiratriana.adv.br - Telefone (43) 3324-7577
      Londrina - Paraná - Brasil

www.nogueiratriana.adv.br

 

Desenvolvimento de sites IMAGINACOM